ENIVO apresenta “FLUXO”, nova individual na A7MA galeria

Artista exibe 30 obras da série “Rainbow Warriors”, criadas durante a pandemia

 

Vila Madalena, São Paulo.  

 

Com abertura no dia 3 de março, mesma data de inauguração de sua primeira individual TEMPO NOVO, em 2009, ENIVO apresenta FLUXO. Com curadoria de Simon Watson, a quarta exposição do artista na A7MA Galeria reúne uma seleção de obras da série de pinturas “Rainbow Warriors”, guerreiros ultra-coloridos retratados em meio a objetos de descarte, emojis, arquitetura periférica e cenários oníricos em tons fluorescentes.

Falando seu próprio dialeto afro-futurista, a série evoca um mundo plural em seus costumes e crenças, numa miscelânea de tendências possíveis para as tribos do futuro.  “Essas obras são cartas do hoje para as próximas civilizações”, sugere o artista. Entre as pinturas apresentadas, destacam-se “Lilitz”, figura feminina com máscara africana e o skyline de São Paulo ao fundo, e “Mirror”, auto-retrato potente com elementos que vão de búzios e moedas aos famigerados emojis de foguinho.

“Esses guerreiros estão muitas vezes agachados, no que se chama de ‘pose da quebrada’, se preparando para a missão da vida”, explica o artista.  “Tudo se mistura: por um lado, o estado de presença do cenário urbano periférico –  bailes, aglomeração, motos – ; por outro, um estado líquido de transe espiritual, uma espécie de nirvana. Vários dos guerreiros usam máscaras saudando a ancestralidade africana e egípcia, mas no fundo passado, presente e futuro estão ali conjugados em um único tempo.” 

As obras foram criadas durante a pandemia, entre 2020 e 2021, em um fluxo criativo sem precedentes na trajetória do artista – daí também o título da mostra. Em quarentena quase absoluta, ENIVO trabalhou com intensidade total, chegando a fazer jornadas de 15 a 17 horas diárias de pintura, numa verdadeira explosão.

“Brilhantemente coloridos em tons digitais, os guerreiros do arco-íris de ENIVO são personagens performáticos na luta diária para combater o cinza da cidade “, sugere Simon Watson, que organizou as obras em três zonas distintas da galeria, procurando estabelecer diálogos entre obras em grande escala e outras de caráter mais intimista. “A exposição combina sua prática poética como artista de rua e sua prática de ateliê, desenvolvida com acrílico, spray, colagem e objetos encontrados”, complementa o curador. 

Todas as obras são banhadas em resina, técnica inspirada por seu mestre Vermelho Steam, que com atenção e amizade compartilhou seus conhecimentos e incentivou a ENIVO a experimentar a técnica. Para abertura, o artista vai pintar um dos muros laterais da galeria e fazer intervenções diretamente nas paredes internas, complementando a expografia. 

 

 

Sobre o Artista 

ENIVO firmou um pacto vital com a arte e sua essência aos 12 anos de idade, através da primeira experiência com o Graffiti, em 1998. Desde então, marca as ruas da cidade com a materialização de ideias, expressão de sentimentos e questionamentos, através da imagem. Enivo afirma que todas as mutações em sua obra são como portais para o novo. Entende que a técnica, conceito e expressão transitam de forma cíclica. Cada nova série criada é resultado do que já foi feito e ao mesmo tempo um passo para novas pesquisas, ramificações de ideias que apresentam a continuidade, novas possibilidades de criação em busca do Âmago. Além da arte livre-expressiva nas ruas e no atelier, já ilustrou campanhas publicitárias para muitas marcas e decorou diversos lares e empresas. Graduado em Artes Plásticas pela Faculdade Paulista de Artes, é também arte-educador, na partilha de conhecimentos e vivências com jovens focados em pesquisar e produzir arte. É sócio fundador da A7MA Galeria.


Sobre o curador

Simon Watson é curador independente e especialista em eventos culturais baseado em Nova York e São Paulo. Com trinta e cinco anos de experiência na cena artística de três continentes, Watson concebeu e assinou a curadoria de mais de 250 exposições de arte para galerias e museus, e coordenou programas de consultoria em colecionismo de arte para inúmeros clientes institucionais e particulares. Nas últimas três décadas, Watson trabalha especialmente com artistas emergentes e pouco reconhecidos, trazendo-os para a atenção de novos públicos. Sua área de especialização curatorial é identificar artistas visuais com potencial excepcional, muitos dos quais são agora reconhecidos internacionalmente na categoria blue-chip e representados por algumas das galerias mais importantes e respeitadas do mundo. 

 

Sobre a galeria

No espaço de arte e cultura, A7MA (lê-se a sétima), em São Paulo, somam artistas, telas pincéis e amigos – por meio do desejo genuíno de amplificar a arte contemporânea com influencias da rua, até o limite do possível. Fundada em 2012, é organizada por Marcos Ramos ˚Enivo, Tché Ruggi, Cristiano Kana , Alexandre  Enokawa e Raymond Supino. Do indivíduo ao coletivo, muito além de um nome – athima (alma em hindu), a ‘A7MA’ é a representação da união de duas casas artísticas: o ‘Coletivo 132’ e a ‘Fullhouse’. Com mais de 100 m² de arte, o repertório cultural da galeria já tem mais de 30 exposições em seu catálogo e um acervo variado obras e é considerada um dos principais espaços na cidade, interessado exclusivamente pela arte de rua.

 

SERVIÇO Exposição “FLUXO” 

Abertura: 3 de março de 2022 às 17h 

Segunda e terça, das 11h às 18h

Quarta-feira a sábado, das 11h às 19h

Domingo, das 12h às 17h

Até 3 de abril

A7MA Galeria —  Rua Medeiros de Albuquerque, 250 

Vila Madalena São Paulo

+55 11 95301-1796

Entrada gratuita

Informações para imprensa:
a7magaleria@gmail.com 

Works

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Menu
Moeda
EUREuro
pt_BRPortuguese