O artista plástico Atsuo Nakagawa é natural da cidade de Kyoto, fundada no ano de 794 – antiga capital do Japão imperial, sendo substituída por Tokyo em 1868. Formado pela Universidade de Artes Plásticas de Kyoto (Saga Bijutsu Tanki Daigaku) em 2001.

A principal influência em sua arte provém das famosas pinturas dos interiores dos oteras de Kyoto, com mais de 1.600 templos budistas e 400 santuários xintoístas. A pintura de 20 metros do dragão do Templo de Myoushinji realizada por Tanyu Kanno (04/03/1602 – 04/11/1674) marcou profundamente a sua infância, em razão das obras e painéis de grande escala do renomado artista. Desta maneira, pinturas e esculturas de velhos dragões, demônios e monstros envolveram o imaginário de Atsuo Nakagawa. Nos anos 80, seu processo criativo foi impactado pelo Cinema, através dos filmes e animações de stop motion produzidos por Ray Harryhausen sob a temática “Monstros” como em ‘Simbad contra o Olho do Tigre’ e ‘Jason e os Argonautas’.

Após concluir a graduação, conciliou sua intensa produção artística e os trabalhos para a Nanasai Company – empresa de manequins de moda, e Art Union que produzia objetos e esculturas para a Universal Studios e The Walt Disney Company.

No ano de 2006, após viajar aos EUA e à Coreia, Atsuo Nakagawa recebeu o primeiro convite do Brasil para participar do Coletivo Himegoto na Galeria Choque Cultural. A breve estadia desta ocasião, proporcionou inúmeras experiências e colaborações com artistas e grafiteiros brasileiros.

Em maio de 2011, fixou residência na capital paulista e realizou uma exposição individual na Galeria Choque Cultural, por incentivo do prestigiado artista Titi Freak.

No Brasil o artista japonês percebeu a oportunidade de explorar amplamente o gênero do Grafitti, sem as restrições legais e as limitações espaciais que enfrentara em sua terra natal. Ao mesmo tempo, firmou parceria com as marcas japonesas Macromauro, Asics Onitsuka Tigre Brasi e New Era Brasil. Prosseguiu com a temática do dragão para pintar as paredes e os painéis da cidade, unindo o Grafitti, o Street Art e a tradição artística de Kyoto. Simbolicamente, os dragões estão associados aos terremotos e maremotos pela força que os seus movimentos exercem nas profundezas da Terra.

Dois meses antes de chegar definitivamente ao Brasil, Atsuo Nakagawa assistiu à devastação em Fukushima e Miyagui causada por terremoto e tsunami, no dia 11 de março de 2011. A força do Dragão tinha sido despertada novamente no Japão. Sensibilizado com a tragédia, o artista decidiu expressar o poder da natureza em suas ilustrações e pinturas, trazendo um outro significado para o Dragão: Prosperidade e Proteção. Assim, ao transpor a imagem desta criatura mística nos muros e paredes, Atsuo Nakagawa deseja que os dragões protejam a cidade de São Paulo contra os perigos urbanos.

Residindo desde o ano de 2011 no Brasil, sua arte é munida de ancestralidade, vanguarda e gratidão pela país que o acolheu.

Works

Menu
Moeda
EUREuro
pt_BRPortuguese