As 10 pinturas mais famosas do mundo

por Aline Anzzelotti

VocÊ sabe quais são as pinturas mais famosas do mundo? Mesmo quem nunca estudou nada sobre arte, querendo ou não sabe um pouco sobre. Para provar isso, fizemos um ranking com as obras mais famosas. Assim, como essa é uma tarefa difícil de ser concluída, foi feita uma pesquisa sobre as obras mais procuradas na internet nos últimos cinco anos.

10 “A Criação de Adão”

“A Criação de Adão”
Michelangelo Buonarotti

Artista: Michelangelo
Data: 1508 to 1512
Onde ver: Capela Sistina (Cidade do Vaticano)

A Capela Sistina chega a deixar os olhos perturbados, com tantas pinturas e cenas contatadas na Bílbia. Entretanto, com certeza Michelangelo quis que “A Criação de Adão” se destacasse, sendo uma das pinturas centrais no teto da capela. Não é fácil ficar olhando para cima e prestar atenção em todos os detalhes. Ainda assim, essa é uma experiência única que vale o esforço. Michelangelo sofreu muito ao longo dos anos que dedicou a essa obra inigualável, combinada com o Papa da época. Por fim, teve problemas na mão de tanto tempo que pintou com o braço para cima. Mas ainda bem que foi recompensado com o reconhecimento de sua genialidade através dos tempos.

9 “Las Meninas”

“Las Meninas”
Diego Velázquez

Artista: Diego Velázquez
Data: 1656
Onde ver : Museo del Prado (Madrid)

Madrid é a única cidade que é possível encontrar duas das obras mais famosas dessa lista. “Guernica” em número 5 e “Las Meninas” em número 9. Não só colocada como a mais famosa pintura de Velázquez, mas também uma das maiores do artista. A complexidade da obra fascina críticos de arte ao longo dos tempos. Ao mesmo tempo em que a obra retrata figuras da realeza, também é um auto retrato, onde o pintor se retrata em ação. Outra característica notável, é que os modelos vivos estão olhando para o “público” de maneira vívida.

8 “O Nascimento de Vênus”

“O Nascimento de Vênus”
Sandro Botticelli

Artist:a Sandro Botticelli
Data estimada: 1485
Onde ver: Galeria dos Ofícios (Florence, Italy)

Primeiramente, a mais antiga obra desse ranking, e competindo com “O Beijo” em impressão sensorial. A obra que retrata pela visão do artista, o nascimento da Deusa do Amor, Vênus, deixa qualquer um tocado. Uma mistura de sua paixão pela cultura Grega e a onda do início da Renascença. Enfim, para revolucionar, fez a Deusa nua, coisa rara para a época. Mas que ainda bem não fora vetada.

7 “Moça com Brinco de Pérola”

“Moça com Brinco de Pérola”
Johannes Vermeer

Artista: Johannes Vermeer
Data estimada: 1665
Onde ver: Mauritshuis (The Hague, Netherlands)

Muito comparada com dona Monalisa, mas considerada não um retrato exatamente. Muitos críticos e historiadores consideram que a moça não foi retratada, mas sim realizada na imaginação do pintor. É possível observar que os elementos da personagem são exagerados para um ser humano normal. Por outro lado, sua fama vem da simplicidade da obra, onde o foco centraliza no turbante azul da figura e no brinco de pérola exagerado.

6 “O Beijo”

“O Beijo”
Gustav Klimt

Artista: Gustav Klimt
Data estimada: 1907 to 1908
Onde ver: Palácio Belvedere (Vienna, Austria)

Em primeiro lugar, é incontestável que esse é um dos beijos mais sensíveis e expressivos já retratados na história da arte. Com influencias bizantinas a mostra no robe dos personagens, essa pintura de tamanho significativo deixa seu observador com as emoções despertas. Assim, Klimt dizia que o quadro era uma referência de como o amor é o centro de toda vida. E pela popularidade da obra, parece que o público concorda.

5 “Guernica”

“Guernica”
Pablo PIcasso

Artista: Pablo Picasso
Data: 1937
Onde ver: Museu Reina Sofía (Madrid)

Se O Beijo veio do centro da vida, o amor. Então, com certeza Guernica veio do centro da morte, a guerra. Essa é a obra mais jovem em nosso ranking e retrata o bombardeio da cidade de Guernica na Guerra Civíl espanhola. Logo, essa obra não só retrata uma guerra, mas também em seus detalhes, se observa todos os elementos de dor envolvidos naquele cenário. Picasso tirou a obra da Espanha na época e só deixou que ela voltasse quando a democracia voltasse ao país. Alguns temas nunca saem de moda, não é mesmo?

4 “O Grito”

“O Grito”
Edvard Munch

Artista: Edvard Munch
Data: 1893
Onde ver: Museu Nacional (Oslo, Norway — opening in 2020) and Munch Museum (Oslo — through May 2020)

Primeiramente, uma obra replicada em muitos memes da atualidade. O Grito poderia até ser considerado uma Pop Arte, se não fosse o fato de não ser. Poucos sabem, mas essa obra é composta de duas peças. Graças a dois ladrões do ramo, a obra ficou bem conhecida por ser roubada duas vezes. Mas foram encontradas para a alegria dos admiradores. Diferente do que se imagina, dizem que a obra não retrata um simples grito, mas sim uma sensação que a natureza provoca.

3 “Noite Estrelada”

“Noite Estrelada”
Vincent van Gogh

Artista: Vincent van Gogh
Data: 1889
Onde ver: Museu de Arte Moderna MoMa (New York City)

Van Gogh foi único, e suas cores e o uso do pincel mais grosso era uma revolução para a arte na época. As pinceladas arredondadas do artista tornam suas obras quase um sonho. Noite Estrelada foi feito enquanto o pintor estava internado em um asilo na França, onde se tratava por problemas mentais. Assim, essa era a vista de sua janela. Um quadro com muita história e muita emoção, de um grande artista que vendeu um único quadro enquanto vivo.

2 “A útima Ceia”

A Última Ceia
Leonardo da Vinci

Artista: Leonardo da Vinci
Data estimada: 1495 to 1498
Onde ver: Santa Maria delle Grazie (Milan, Italy)

A refeição mais famosa do mundo é nosso segundo lugar. Essa obra não é um quadro, mas um afresco do artista. Medindo aproximadamente 4,5×8,8 metros é uma visão impactante. Ainda assim, a obra foi alvo de Napoleão, o qual praticava tiro na parede do convento. A pintura também foi muito exposta aos efeitos da natureza durante bom período. Mas, nada pode destruir a obra prima que retrata a última vez que Jesus repartiu o pão, pouco antes de ser traido.

1 “Monalisa”

“Monalisa”
Leonardo da Vinci

Artista: Leonardo da Vinci
Data estimada: 1503 to 1519
Onde ver: Museu do Louvre (Paris)

Primeiramente, poucos sabem que da Vinci na verdade pintou poucas obras de arte. O artista era muito mais que pintor. Era visionário, inventor, escritor. Criou diversos aparelhos que ninguem entendia na época, mas que ao longo do tempo fizeram muito sentido. Esse é o único artista que aparece em nossa lista por duas vezes. Da Vinci pode ser considerado uma espécie de gênio do seu tempo, e o mundo nunca mais foi o mesmo depois dele e do sorriso de Monalisa.

Todas as obras dessa lista e seus criadores, não eram na maioria reconhecidos por sua grandiosidade em seus tempos. A arte foi sendo valorizada com o passar dos anos, e de olhares críticos que puderam explicar e reconhecer a maestria em cada peça.

Assim, também hoje em dia um artista nunca é tão valorizado em seu próprio tempo. Talvez porque a arte esteja sempre a frente de nós humanos.

Na A7MA, temos também algum da Vinci ou Van Gogh, que embora sejam bem reconhecidos por sua grandiosidade atualmente, certamente serão cada vez mais valorizados ao longo da história da arte brasileira.

Não deixe de ver nossos artistas, e de fazer um tour virtual conosco, enquanto estamos em quarentena. Pois, nunca se sabe quais serão os próximos grandes artistas de todos os tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Menu