Como ser um Artista: ideais para deixar de ser um amador ou pelo menos viver uma vida mais criativa

Ideias de como ser um artista ou ter uma vida mais criativa
por Aline Anzzelotti

Como ser um artista; não deve ser algo assim fácil de fazer um manual e seguir, mas o crítico de arte Jerry Saltz conseguiu dar boas ideias sobre esse assunto. Mas, existem passos a serem dados como em todas as carreiras, e o vencedor do premio Pulitzer de crítica com certeza tem pontos de vista muito relevantes.

Na era Instagram, as pessoas tem muito mais poder de alcance e sobre sua própria vida profissional. Com as redes, o mundo mudou e a arte não é diferente. Andy Warhol é com certeza o artista que mais entenderia o mundo que vivemos nos dias de hoje. Assim, como um artista consegue transformar qualquer coisa em arte? E como essa arte se transforma em boa arte?

Jerry nos da 33 ideias de como ser um artista de verdade, e brinca que poderiam ser 34, se você contar “Seja gentil, generoso e aberto com os outros e cuide bem de seus dentes. E ainda, 35: Fake it till you make it”, uma expressão em inglês que quer dizer mais ou menos “finja até conseguir”.

Aqui traduzi as ideias mais relevantes, mas para quem quiser buscar por todas as ideias do crítico, vale a pena a pesquisa.

1- Não se envergonhe

Eu entendo. Fazer arte pode ser humilhante, aterrorizante, fazer você se sentir sujo, exposto, como ficar pelado na frente de outra pessoa pela primeira vez. Frequentemente, você revela coisas sobre si mesmo que os outros podem achar aterrorizantes, estranhas, chatas ou estúpidas. As pessoas podem pensar que você é anormal ou um golpe. Bem. Quando trabalho, fico enjoado com pensamentos como Nada disso é bom. Isso não faz sentido. Mas a arte não precisa fazer sentido. Nem precisa ser bom. Portanto, não se preocupe em ser inteligente e deixe de ser “bom”.

2 – Conte sua própria história e será interessante – Louise Bourgeois

Amém, Louise. Não se deixe controlar pelas definições de habilidade ou beleza de outras pessoas, nem se deixe levar pelo que é supostamente alto ou baixo. Não fique no meio do seu próprio caminho. Desenhar dentro das linhas é para bebês; fazer as coisas estarem certas é coisa para contadores. Proficiência e destreza são tão boas quanto o que você faz com elas. Mas lembre-se também de que só porque é sua história, isso não significa que você tem direito a um público. Você tem que merecer isso. Não tente fazer isso com um único projeto grande. Dê passos de bebê. E seja feliz com passos de bebê.

3 – Sinta-se livre para imitar

Todos nós começamos como imitadores, pessoas que fazem pastiches do trabalho de outras pessoas. Bem! Faça isso. No entanto, quando você fizer isso, concentre-se, comece a sentir a possibilidade de tornar todas essas coisas suas – mesmo quando as ideias, ferramentas e movimentos vêm de outros artistas. Sempre que você fizer algo, pense em você como entrando em um estádio gigantesco cheio de ideias, avenidas, caminhos, meios e materiais. E possibilidades. Faça essas coisas suas. Esta é sua casa agora.

4 – Arte não é sobre entender. Ou sobre dominar.

É sobre fazer e experiênciar.

Ninguém pergunta o que Mozart significa. Ou uma raga indiana ou a pequena dança de Fred Astaire e Ginger Rogers ao som de “Cheek to Cheek” em “O Picolino”. Esqueça de fazer coisas que são compreendidas. Eu não sei o que Abba significa, mas eu adoro eles. A imaginação é o seu credo; sentimentalismo e falta de sentimento seu inimigo. Toda arte vem do amor – amor por fazer algo.

5 – Trabalhe, Trabalhe, Trabalhe.

A irmã Corita Kent disse: “A única regra é o trabalho. Se você trabalhar, isso levará a algo. São as pessoas que fazem todo o trabalho o tempo todo que eventualmente entendem as coisas. ”

Eu tentei de todas as maneiras no mundo parar os momentos de bloqueio no trabalho ou medo de trabalhar, de falhar. Só existe um método que funciona: trabalhar. E continue trabalhando.

Todo artista e escritor que conheço afirma trabalhar dormindo. Eu faço o tempo todo. Jasper Johns disse a famosa frase: “Uma noite, sonhei que pintei uma grande bandeira americana e, na manhã seguinte, levantei-me e comprei os materiais para começar.” Quantas vezes você já teve uma carreira inteira em seus sonhos e não deu ouvidos a ela? Não importa o quão assustado você esteja; todo mundo está com medo. Trabalhe. O trabalho é a única coisa que tira a maldição do medo.

6 – Comece com um lápis

Não se preocupe em desenhar. Apenas faça marcas. Diga a si mesmo que você está simplesmente diagramando, jogando, experimentando, vendo o que parece o quê. Se você sabe escrever, já sabe desenhar; você já tem uma forma própria, um estilo de fazer letras e números e rabiscos especiais. Essas são formas de desenho também.

Enquanto você está fazendo marcas e desenhando, preste atenção a todo o feedback físico que você está recebendo de sua mão, pulso, braço, orelhas, seu olfato e tato. Quanto tempo sua marca pode chegar antes de você precisar levantar o lápis e fazer uma marca diferente? Faça essas marcas mais curtas ou mais longas. Mude a maneira como você os faz, envolva seus dedos em tecido para mudar seu toque, experimente a outra mão para ver o que faz. Todas essas coisas estão dizendo algo a você.

Fique muito quieto dentro de você e preste atenção a tudo que você está experimentando. Não pense bem ou mal. Pense útil, prazeroso, estranho. Esconda segredos em seu trabalho. Dance com essas experiências, colabore com elas. Elas são as guias; você segue. Em breve, você também estará criando etapas, fazendo cálculos visuais por conta própria – desajeitado, desajeitado ou não. Quem se importa? Você vai dançar ao som da música da arte. Leve sempre um caderno de desenho com você.

7 – Desenvolva maneiras de praticar

Por exemplo, no metrô, enquanto esperando, pratique o desenho de suas próprias mãos. Muitas mãos na mesma página, mãos sobre outras mãos. Mãos de outras pessoas, se você quiser. Você pode desenhar outras partes do seu corpo que você pode ver também. Mas você tem que olhar e descrever com seu lápis ou caneta o que você vê. Não invente! Os espelhos são bons, mesmo se você quiser desenhar apenas onde sua bochecha se transforma em sua boca. Jogue com escalas diferentes, torne as coisas maiores, menores, tortas.

8 – Agora, defina a habilidade

Habilidade artística não tem nada a ver com proficiência técnica, exatidão mimética ou o chamado bom desenho. Para cada grande artista, existe uma definição diferente de habilidade. Faça aulas de desenho, se desejar; aprender a desenhar “como os mestres”. Você ainda tem que fazer isso de uma maneira original. Pollock não sabia desenhar de forma realista, mas fez um movimento rápido de tinta em uma tela de cima, por um tempo, a habilidade mais valiosa no mundo da arte. Você pode fazer o mesmo – sua habilidade será o que quer que você esteja fazendo de forma diferente.

9 – Incorpore o pensamento no material

“Incorpore o pensamento ao material.” O que isso significa? Um objeto deve expressar ideias; a arte deve conter emoções. E essas ideias e sentimentos devem ser fáceis de entender – complexos ou não.

10 – Encontre sua própria voz

Encontre e exagere sua voz.
Se alguém disser que seu trabalho se parece com o de outra pessoa e você deve parar de fazê-lo, eu digo, não pare de fazê-lo. Faça isso novamente. Faça isso 100 ou 1.000 vezes. Em seguida, pergunte a um amigo artista em quem você confia se seu trabalho ainda se parece muito com a arte de outra pessoa. Se ainda se parecer muito com o da outra pessoa, tente outro caminho.

11- Ouça as vozes loucas dentro de sua cabeça

Eu tenho meu próprio tipo de Escola de Atenas na minha cabeça. Um time de rivais, amigos, gente famosa, influências vivas e mortas. Eles estão todos olhando por cima do meu ombro enquanto eu trabalho; nenhum deles é mau. Todos fazem observações, recomendações, etc. Eu uso muito música. Eu penso, ok, vamos começar esta peça com um verdadeiro pow! Como Beethoven. Ou a Barbara Kruger em minha cabeça diz: Faça esta frase curta, enérgica, declarativa, agressiva. Led Zeppelin interrompeu: Experimente um experimento cabeludo aqui; deixe tudo aparecer.

Todas as pinturas de Siena que eu já vi me imploram: Torne-o lindo. D. H. Lawrence está batendo forte na mesa, Alexander Pope está me fazendo controlar, Wallace Stevens ouve minha língua e recomenda palavras, Whitman me empurra, meu Melville interior fica grandioso e Proust me leva a fazer mais e mais frases até que quase quebrem, e meu editor corta em oitavos ou edita em um. (Os escritores precisam de editores. Sem exceções.) Essas vozes sempre estarão lá para quando as coisas ficarem difíceis.

12 – Compare gatos com cachorros

Tudo bem, isso parece ridículo, mas chame seu cachorro e ele vai direto até você, colocando a cabeça no seu colo, babando, balançando o rabo: uma comunicação direta milagrosa com outra espécie. Agora chame seu gato. Ele pode olhar para cima, se contorcer um pouco, talvez ir até o sofá, se esfregar nele, circular uma vez e se deitar novamente. O que estou dizendo?

Ao ver como o gato reagiu, você está vendo algo muito próximo de como os artistas se comunicam.

O gato não está interessado em comunicação direta. O gato coloca uma terceira coisa entre você e ele e se relaciona com você por meio dessa terceira coisa. Os gatos comunicam-se abstratamente, indiretamente. Como Carol Bove diz: “Você não pode simplesmente chegar até a beleza e beijá-la na boca!” Artistas são gatos. (E eles não podem ser agrupados.)

“Maestro”
Rim Chiaradia

13 – Observe o quanto puder

Os críticos veem de trás, chegando perto, dando um passo para cima e para trás; ver um espetáculo completo, comparar uma obra a outra; considerando o trabalho anterior do artista, avaliando desenvolvimentos, repetições, regressões, falhas, falta de originalidade; etc.

Os artistas veem de maneira muito diferente: eles se aproximam muito de uma obra; eles inspecionam cada detalhe, suas texturas, materiais, maquiagem; eles o tocam, olham para as bordas e ao redor da parte de trás do objeto.

O que os artistas estão fazendo? Eles dirão: “Vendo como é feito”. Eu diria: “Roubo”.Você pode roubar de qualquer coisa. Você deve! Você é melhor! A arte ruim ensina tanto quanto a arte boa. Talvez mais! A grande arte costuma ser inimiga da boa; não deixa espaço suficiente para roubar.

14 – Aceite que é provável que você seja pobre

Mesmo que tudo o que vejamos do mundo da arte hoje em dia sejam preços astronômicos, brilho, glamour e comportamento viciado, lembre-se de que apenas 1% de 1% de todos os artistas enriquecem com suas obras de arte. Você pode se sentir esquecido, subestimado e mal pago. Que pena. Pare de sentir pena de si mesmo; não é por isso que você está fazendo arte.

15 – Defina sucesso

Mas tenha cuidado. As respostas típicas são dinheiro, felicidade, liberdade, “fazer o que eu quero”, ter uma comunidade de artistas, fazer com que as pessoas vejam o que eu faço.

Mas … se você se casar com uma pessoa rica e tiver muito dinheiro, ficará satisfeito apenas com o dinheiro? Além disso, a lanchonete Subway vende muitos sanduíches, mas isso não os torna bons.

16 – Artistas precisam ser vampiros

Fique acordado até tarde todas as noites com outros artistas da sua idade. Mostrar-se. Vá a inaugurações, eventos, festas, onde quer que haja mais de dois da sua espécie.

Os artistas devem comungar com sua própria espécie o tempo todo. Não há exceções a esta regra, mesmo se você mora “na floresta”. De preferência, comungue pessoalmente, mas online é mais do que bom. Não importa onde você mora: cidade grande, cidade pequena. Vocês vão lutar e amar juntos; vocês desenvolverão novos idiomas juntos e proporcionarão um ao outro conforto, conversação e força para continuar. É assim que você mudará o mundo – e sua arte.

17 – Aprenda a lidar com rejeição

O primeiro e mais renomado livro de Stephen King, Carrie, foi rejeitado 30 vezes. King jogou fora as primeiras páginas do livro. Sua esposa vasculhou o lixo, resgatou-os e persuadiu-o a continuar escrevendo.Os Beatles foram rejeitados pela Decca Records, que acreditava que “grupos de guitarras estão em declínio” e “os Beatles não têm futuro no show business”.

Mas não apenas ignore as críticas. Em vez disso, guarde suas cartas de rejeição; cole-os na parede. Eles são aguilhões, coisas para provar que estão erradas. Você pode ser Acabe sobre essas críticas negativas, mas não se deixe abater por elas; eles não definem você.

18 – Seja um artista Delirante

Às três da manhã, os demônios falam com todos nós. Estou velho e eles ainda falam comigo todas as noites. E todos os dias.

Dizem que você não é bom o suficiente, não estudou nas escolas certas, é burro, não sabe desenhar, não tem dinheiro suficiente, não é original; que o que você faz não importa, e quem se importa, e você nem sabe história da arte, e não pode conversar, e tem um pescoço ruim. Eles dizem que você está fingindo, que outras pessoas veem através de você, que você é preguiçoso, que não sabe o que está fazendo e que está fazendo isso apenas para chamar atenção ou dinheiro.

Eu tenho uma solução para afastar esses demônios: depois de se espancar por meia hora ou mais, pare e diga em voz alta: “Sim, mas eu sou um gênio do caralho.”

Você é, AGORA. Arte é para qualquer um, mas nem todos são para a arte. Essas regras são suas ferramentas. Agora use-as para mudar o mundo. Vá trabalhar!

“Andy Warhol”
Sliks
Ideias de como ser um artista e ter uma vida criativa

Ideias de como ser um artista e ter uma vida criativa

Ninguém tem um manual exato para despertar o artista que vive dentro de nós. Somos os únicos que podemos fazer isso e essas são apenas ideias que podem ajudar no processo. Mas, nunca esqueça que a chave da sua vida se encontra única e exclusivamente dentro de você.

2 Comentários. Deixe novo

  • Maravilhoso !!!!!! Obrigado por publicar esse txt tão bom sobre arte e sobre alguém que entende muito bem como funciona a cabeça de um artista

    Responder
  • Bruna Regina Mendes máximo
    21 de setembro de 2020 17:46

    O texto retrata de uma forma versátil e única sobre as adversidades de ser um artista e até mesmo um pouco da frustração psicológica que a falta da criatividade traz para os dias de um artista ( falta de incentivo, desmotivação e até ausência de pessoas e lugares que proporciona vivência artística) . O texto é bem específico e comenta sobre algumas vertentes bem importante , fazendo com que qualquer pessoa que leia se abranja e queira tentar algo novo . AMEI

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Menu